BOLETIM DE NOTICIAS DO
CENTRO DE MIDIA INDEPENDENTE
DE PORTO ALEGRE
Nº 101 - 11/11/2003

Por uma rede de informação e solidariedade entre os movimentos sociais e segmentos oprimidos!




A Democratização da Comunicação se faz no dia a dia


Na ultima semana ocorreram diversas atividades relacionadas a democratização da comunicação, desde Porto Alegre ate o restante do Brasil. Em muitas delas estivemos enquanto proponentes e em outras havia algum integrante ativo da rede CMI acompanhando. Houveram muitos debates e discussões, no entanto, é sempre importante nos questionarmos qual a coerência que mantemos entre a teoria e a pratica. Também estão previstos para os próximos dias outros encontros relacionados ao tema. Por isso, dedicamos a introdução deste boletim a esses acontecimentos, e levando sempre adiante um importante principio para a construção da rede de solidariedade entre os oprimidos:

“A DEMOCRATIZACAO DA COMUNICACAO SE FAZ NO DIA A DIA”.

Revista Porém edita dossiê RBS

Representantes dos Sindicatos dos Jornalistas/RS, Radialistas, Administrativos e Gráficos, presentes à esquina democrática, em Porto Alegre, na segunda-feira, 3 de novembro, às 18h, protestaram contra a demissão de 218 profissionais do Grupo RBS. No ato público, realizado com apoio dos movimentos sociais, foi lançada a revista Porém com um dossiê sobre as relações obscuras da RBS com o poder e da sua situação de descontrole financeiro, com uma dívida de R$ 500 milhões.

A justificativa do vice-presidente do grupo, o ex-ministro da Casa Civil do governo FHC, Pedro Parente, anunciado antes do fim do governo e empossado sem "quarentena", para a demissão dos 218 trabalhadores do grupo é de que a instabilidade macro-econômica dos últimos anos atingiu a maioria das empresas brasileiras. O objetivo, segundo a nota da direção, é redução de custos.

A revista Porém é bimestral, está em sua quarta edição e editou seu primeiro caderno temático numa devassa, com documentos, sobre o grupo RBS. Para o diretor da revista, Hugo Scotte, a idéia é resgatar o jornalismo investigativo e "o monopólio da mídia era uma pauta natural". A Rede Brasil Sul de Comunicação é composta de 19 emissoras de televisão (17 VHF, 2 UHF), 19 de rádio (14 FM, 5 AM) e seis jornais diários. Já processou o ex-presidente do Sindicatos dos Jornalistas Profissionais no RS por uma ilustração e apesar de sua linha editorial apresentar cores carregadas de ideologia, seus diretores e jornalistas executivos afirmam com veemência sua imparcialidade. O presidente do Sindicato dos Jornalistas gaúchos, José Carlos Torves, afirma que apesar de ótimos profissionais em seus quadros a RBS pratica um jornalismo de má qualidade, "em função da linha editorial e dos compromissos partidários dos seus proprietários". Para Torves, "os donos da mídia" no Estado são maus administradores e não sabem o que é democracia.



Oficina de Repórteres Populares no acampamento do MTD

O Centro de Mídia Independente de Porto Alegre realizou na manha de sábado, dia 8, a Oficina de Formação de Repórteres Populares no acampamento do Movimento dos Trabalhadores Desempregados, localizado na rua Comendador Tavares, 237, Bairro Navegantes. Participaram cerca 20 integrantes da ocupação oriundos de diferentes cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

A atividade representa a retomada dos trabalhos em conjunto com movimento social organizado, pois há muito tempo estamos realizando essas oficinas em algumas comunidades em processo de organização, ou seja, algo que demanda muito mais esforço e um apoio permanente. Estaremos discutindo com a coordenação do MTD a proposta de darmos continuidade ao projeto, fazendo com que o grupo seja capaz de produzir suas próprias noticias. A construção de um veiculo de comunicação gerido pelos militantes do movimento, poderá servir de exemplo e ajudará na preservação cultural e na afirmação da identidade. ESSA E A NOSSA LUTA!!!



Oficina de Radio Comunitária na FABICO

O Grupo Ação Periférica na Comunicação em parceria com o CMI-Poa realizou nos dias 5, 6 e 7 de novembro a oficina sobre Radio Comunitária na FABICO. As atividades ajudaram a fomentar nos alunos participantes o interesse pelo trabalho comunitário, visando a criação de uma Radio Livre em conjunto com os moradores da Vila Planetário.



1ª Conferência Nacional de Comunicação Comunitária em Pelotas
O evento ocorreu nos dia 7 e 8 de novembro, e entre seus objetivos estava a análise da atual situação dos veículos comunitários no país, considerando as suas principais dificuldades. A organização foi proposta pelo grupo pelotense SOS Comunicação Comunitária, formado por diversos representantes da sociedade.



Jornada pela Democratização da Mídia

A Jornada nasceu da necessidade de fortalecer uma comunicação mais democrática no Brasil, denunciando as freqüentes tentativas de criminalização das lutas populares.

Nos dias 8 e 9 de novembro as atividades ocorreram em Belo Horizonte durante o Fórum Social Brasileiro; no Rio de Janeiro, dia 10, a Jornada foi lançada no Teatro da Associação Brasileira de Imprensa; e o encerramento se deu em São Paulo nessa terça-feira com um Ato Público pela Democratização da Comunicação.



Campanha VEJA QUE MENTIRA
FONTE: Hamilton Octavio de Souza (Jornalista, Professor da PUCSP e Editor da Revista Sem Terra)

Foi lançado no dia 8 de novembro de 2003, em Belo Horizonte, durante a realização do Fórum Social Brasileiro, a Campanha VEJA QUE MENTIRA, que tem por objetivo conscientizar a sociedade brasileira sobre os danos causados pela mídia.

A revista VEJA, da Editora Abril, simboliza a expressão mais atrasada e reacionária do jornalismo praticado pela "grande" imprensa, que distorce a realidade, criminaliza os movimentos sociais e tenta desmoralizar quem defende a democracia e os interesses do povo brasileiro.

A campanha VEJA QUE MENTIRA defende o posicionamento crítico diante das mentiras e das distorções divulgadas pela revista VEJA; pede a denúncia da revista por sua falta de ética e falta de respeito com o leitor e com a cidadania; pede que se deixe de ler e de assinar a revista até que ela mude de postura e assuma compromisso com a democracia e com a liberdade de expressão, de organização e de manifestação.

Ajude a divulgar essa campanha. Adote uma posição crítica e politicamente correta. Adote os lemas:

EU NÃO LEIO A VEJA.

EU NÃO ASSINO A VEJA.

CHEGA DE MENTIRA, VEJA NÃO.

VEJA QUE MENTIRA. AQUI NÃO.

A defesa de uma comunicação democrática, que expresse as várias posições existentes na sociedade brasileira, é fundamental para consolidar a democracia política, social e cultural no Brasil.

Participe. Essa luta é nossa.



Encontro de rádios livres

A rádio Muda promoverá o Encontro de Rádios Livres nos dias 20 a 22 de novembro. O Encontro é sem fronteiras e aberto, voltado para ativistas e pessoas interessadas em rádios livres, comunitárias e outras mídias alternativas, e será realizado na rádio Muda e no SUBA, espaço ocupado por estudantes desde o dia 20 de outubro na Unicamp (Campinas-SP).

O objetivo do encontro é debater o conceito de rádio livre e os mais variados temas relacionados, tais como rádio arte, web rádio, autogestão, legislação e as estratégias para a formação das redes descentralizadas de mídias alternativas. A Muda está procurando organizar o Encontro de maneira horizontal, convidando todos a participar da elaboração da programação do evento, a partir da proposta inicial que está sendo divulgada.

No dia 12/11 também haverá um evento de rádios livres na Universidade de São Paulo, com o tema "Rádios Livres e Espaços Públicos", promovido pela Rádio Xiado e pela Rádio Livre da USP, ambas instaladas em universidades mas com uma postura independente à academia.

[ programação do evento e informações para inscrição | Fotos ]




Canal Comunitário: A Prática da Comunicação Comunitária

FONTE: Sara Cadore

Nesta quarta feira, 12 de novembro, o Canal Comunitário de Porto Alegre, oportuniza um meio para aproximar ex-associados, atuais associados e outras entidades afins, para divulgar e debater a importância da comunicação comunitária, apresentando o Canal Comunitário como a prática desta.

Haverá debate sobre comunicação comunitária com profissionais da área, presença do Movimento pelos Direitos da Criança e do Adolescente, sorteio de 4 programas inteiramente produzidos pelo canal, e a comemoração pelo aniversário de 7 anos de Canal Comunitário que apresenta seu novo formato junto as entidades.

Compareça!

Confirmar presença pelo fone: 3338 6530 com Natiele.

Dia 12 de novembro no auditório do CEPA, R. Senhor dos Passos, 202

Início: 18h30m



Rio Grande do Sul


Ocupações e pressão dos desempregados fazem avançar as negociações das Frentes de Trabalho

Desde a semana passada as famílias organizadas no Movimento dos Trabalhadores Desempregados, Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável e Comitês de Resistência Popular realizaram ocupações do SINE em distintos municípios para fazer avançar a efetivação das 2,5 mil frentes de trabalho com o qual se comprometeu o Governo do Estado desde a Marcha por Trabalho Terra e Teto realizada em junho.

No dia 3 o MTD e o Movimento dos Catadores realizaram ocupação do SINE em Caxias do Sul e no dia 4 o MTD fez o mesmo no SINE de Pelotas. As ações deram resultado imediato, obtendo-se no dia 5 o compromisso do governo em iniciar imediatamente as frentes de trabalho. No momento está se esperando o retorno dos pareceres das Comissões Municipais de Emprego, que em alguns casos vêm demonstrando descaso em agilizar o processo. Assim, seguiu-se com mobilizações para pressionar as comissões municipais. No dia 7 o Movimento dos Catadores promoveu ocupação do SINE em Santa Cruz do Sul, no dia 10 foi a vez do Comitê de Resistência Popular em Viamão e no dia 11 do Movimento dos Catadores em Uruguaiana.

Há grupos de desempregados para trabalhar na construção civil, agricultura urbana, produção e industrialização de alimentos, confecção, artesanato entre outros.



Remoção causa dificuldades na Vila Diário de Notícias


A comunidade que vive na Foz do Arroio Cavalhada enfrenta nos últimos sete anos um clima de insegurança e precariedade. Desde que Prefeitura determinou a permuta do vasto terreno próximo ao Jockey Clube estão impedidos de instalar luz, água e esgoto regular em suas casas.

O terreno é destinado para o Grupo Imobiliário Multiplan que pretende construir um dos maiores shoppings da América Latina no local, e se comprometeu a construir casas para as pessoas cadastradas em 1997. Aproximadamente 60% das 135 famílias cadastradas pelo projeto da empresa se mudaram, aumentando o número de pessoas não “contempladas” pelo prelo projeto. Os remanescentes esperam a empresa negociar a remoção em março de 2004 e estão inseguros sobre a abrangência do projeto de reassentamento.

O Projeto Sócio-ambiental do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) prevê a construção de 192 casas populares para a comunidade e vai atingir mais quatro vilas próximas ao Arroio Cavalhada. A remoção parece inevitável para os moradores e é um sinal de progresso para as autoridades.

Nos casos anteriores de remoção pela Multiplan, a construção do supermercado BIG no bairro Cristal, as famílias foram removidas para a periferia da cidade com a construção das casas da Vila Nova. O grupo não informou onde serão construídas e alguns moradores temem pela continuação na criação de cavalos que auxiliam na coleta de materiais recicláveis e outras atividades que sustentam a comunidade.



Brigada Militar e Polícia Civil invadem acampamento em Arroio dos Ratos e prende agricultor

FONTE: Eduardo Zen

Cerca de 200 policiais civis e militares invadiram às 10hs desta manhã (11/11), o acampamento de trabalhadores rurais sem terra localizado no município de Arroio dos Ratos. No local, estão acampadas cerca de 532 famílias. Na operação, aparentemente de busca e apreensão, vários barracos foram destruídos e pessoas agredidas, inclusive mulheres.

Os policiais apreenderam no local, as facas de cozinha e ferramentas de trabalho, como facões para cortar lenha. Também foram levados pedaços de madeira, que os policiais classificaram como "porretes", além de materiais de estudo e papéis diversos, e um aparelho celular. Na operação, o agricultor Justino Vieira foi preso e à tarde foi conduzido algemado ao presídio central de Charqueadas. Foi marcada às 18h30 uma reunião do MST com o governo Rigotto para cobrar uma explicação sobre a prisão. As acusações são formação de quadrilha e esbulho possessório. O MST vêm sofrendo em todo o país um processo de criminalização das suas formas de luta e organização.


Mais informações no local: 9909-3401 com Isnar.



Metalúrgicos marcham pela redução da jornada de trabalho
FONTE: Raquel Longhi

Os metalúrgicos de todo o Brasil estão em luta pela redução da jornada de trabalho para 36 horas, na Jornada de Lutas por Trabalho, Salário, Terra e Direitos Sociais. O projeto do senador Paulo Paim e do deputado federal Inácio Arruda já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos deputados, em Brasília.

Aqui no RS, nossa Jornada tem dois objetivos:

1. Reivindicar a redução da jornada para 36 horas, que vai gerar mais empregos.

2. Discutir com o governador o dinheiro público que será dado à Gerdau pelo Fundopem, e a ameaça de cortes de empregos na siderúrgica.

Na terça-feira da semana passada, dia 4, em Caxias do Sul, 400 metalúrgicos de todo o estado participaram das assembléias nas fábricas Marcopolo e Agrale. Também houve audiências com o prefeito, a Câmara de Vereadores e os empresários, onde foi entregue a pauta de reivindicações do movimento.

No dia 5, foi a vez de uma grande caminhada do Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas até o Palácio Piratini, onde os representantes da Jornada tiveram audiência com o secretário do governo para reivindicar o apoio à luta pela redução da jornada e pela manutenção dos empregos da categoria. Na Assembléia Legislativa, a categoria foi recebida pelo presidente da Casa, que deu seu total apoio à redução da jornada, pois com isso haverá bem-estar social. Ele também mostrou preocupação em verificar a posição da Gerdau no contrato do Fundopem, quanto à geração de empregos e demissões. A empresa está acenando com demissões e não se compromete a criar novos postos de trabalho.

Nossa mobilização busca o apoio da sociedade para esta luta digna dos trabalhadores, que contribuirá para a geração de 11 mil empregos só no setor metalúrgico no RS.

Antes de ir a Brasília, de 24 a 26 de novembro, onde haverá mobilização pelas 36 horas, a coordenação da Jornada de Lutas vai voltar a conversar com o governo do Estado, empresários e Assembléia Legislativa, no sentido de saber os resultados das reivindicações da Jornada.





Brasil


Diolinda ganha Habeas Corpus


A líder do MST, Diolinda Alves de Souza, foi libertada no domingo depois de uma decisão tomada pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o qual concedeu o habeas-corpus a Diolinda por unanimidade, para que possa aguardar o julgamento em liberdade.


Ela havia sido condenada no dia 10 de setembro de 2003 pelo juiz de Teodoro Sampaio, *Átis de Araújo Oliveira (este que já deferiu mais de 28 prisões preventivas), a dois anos e oito meses de prisão, por formação de quadrilha.* O habeas-corpus também favorece outros 10 integrantes do MST condenados no mesmo processo, sendo um deles Felinto Procópio dos Santos, o Mineirinho, que também deveria ter sido libertado ontem da penitenciária de Dracena. Mas devido a alguns problemas de comunicação deverá ser solto hoje pela manhã. Em relação ao líder José Rainha Júnior, que também foi beneficiado pelo habeas-corpus, continua preso.

Os outros oito líderes atingidos - Márcio Barreto, Sérgio Pantaleão, Zelitro Luz da Silva, Valmir Rodrigues Chaves, José Eduardo Gomes de Moraes, Clédson Mendes da Silva, Manoel Messias Duda e Roberto Rainha - estavam foragidos. Todos os 11 condenados por formação de quadrilha ganharam o direito "de aguardar" em liberdade o julgamento do recurso de apelação criminal impetrado em favor deles nesse "processo específico".



Informes pontal: [ 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 ] Outros artigos: [ Artigo sobre o pontal | Armas encontradas com presidente da UDR | Situação atual | Informes ]



Amazonas: Indígenas queimam compromisso de Lula
FONTE: Cimi Regional Norte I

A praça do Congresso, no centro da cidade de Manaus (AM), foi palco de uma grande manifestação dos povos indígenas contra a omissão e o descaso do governo Lula. Representantes de organizações e lideranças de várias regiões do Brasil, queimaram o documento “Compromisso com os Povos Indígenas”, do Programa de Governo da Coligação “Lula Presidente”, indignados com a falta de uma política indigenista, a não homologação de terras como raposa Serra do Sol, em Roraima, e a omissão do governo federal frente a onda de violências que já vitimou 23 indígenas ao longo deste ano.

O protesto marcou o encerramento do I Fórum Permanente dos Povos Indígenas da Amazônia e o lançamento da “Campanha Nacional e Internacional em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas”, que tem como lema “Terra, Justiça e Autonomia”. “Este ato é nosso repúdio ao governo Lula, que veio a Manaus, assumiu compromisso com os povos indígenas e agora, há quase um ano à frente do governo, está esquecendo esses compromissos”, declarava um dos líderes durante a marcha pelo centro da cidade.

A manifestação partiu da praça Dom Pedro, onde há cerca de dois meses, durante a realização de obras pela prefeitura de Manaus, foram descobertas urnas funerárias indígenas. Os pajés Clarindo Campos Tariano e Gabriel Gentil Tukano, fizeram uma pajelança no local onde as urnas foram encontradas.

Em um manifesto divulgado à população, a Coiab – Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira e demais organizações representadas no evento, destacam que “o governo Lula., depois de 10 meses, não deu até agora nenhuma sinalização clara de que a questão indígena terá tratamento adequado na sua administração, no sentido de que os direitos indígenas reconhecidos pela Constituição Federal e outros instrumentos legais, como a Convenção 169 da OIT – Organização Internacional do Trabalho , serão garantidos. O que dá para ver até o momento configura, contrariamente, um comportamento governamental de descaso, marginalização e retrocesso no tratamento dos direitos dos povos indígenas no Brasil. Isso, apesar da grande expectativa que esses povos depositaram no presidente Lula, por conhecerem a sua história pessoal e compromisso político e opor confiarem em suas propostas”.

Fórum – Com o tema “Políticas Públicas do Estado Brasileiro, na visão dos povos Indígenas”, foi realizado de 03 a 06 de novembro o Fórum Permanente dos Povos Indígenas da Amazônia, promovido pela Coiab, com apoio de vários órgãos governamentais e não governamentais. O Fórum surgiu da necessidade de proporcionar às bases da Coiab um entendimento mais abrangente sobre os grandes temas inerentes à política indigenista e indígena, especialmente sobre os temas emergentes que fogem ao domínio das comunidades e das novas lideranças indígenas, conforme explica o coordenador da Coiab, Jecinaldo Barbosa Cabral.



Estudantes lutam pela garantia do passe livre


Na última quinta-feira 06/11, realizou-se no Rio de Janeiro mais um dos protestos pelo passe livre para estudantes. Apesar de ainda não ter sido sancionada pela governadora carioca, a lei que acaba com o passe-livre e instaura catracas eletrônicas nos ônibus intermunicipais já foi aprovada na Câmara dos Deputados.

A passeata fechou o trânsito da Av. Presidente Vargas, uma das principais da cidade, paralisando o Centro da cidade e o comércio ao redor. A polícia, tentando impedir o bloqueio de duas pistas, expulsou os estudantes, utilizando-se de métodos violentos já conhecidos como spray de pimenta, gás lacrimogênio, cassetetes e bomba de "efeito-moral".

Em Salvador, também na quinta-feira, ocorreu um debate sobre a "Revolta do Buzú", movimento autônomo que paralizou a cidade de Salvador por mais de duas semanas em agosto e setembro, reivindicando a redução da tarifa de ônibus.



Rio de Janeiro:
[ Foto-reportagem | Notícias antigas ]

Salvador: Relatos e fotos do debate no CESA: [ 1 | 2 | 3 | 4 | Tudo sobre a revolta do Buzú ]



I Fórum Social Brasileiro



Durante os dias 06 a 09 de Novembro aconteceu em Belo Horizonte o I Fórum Social Brasileiro. O FSB é um desdobramento do Fórum Social Mundial, que em sua próxima edição acontecerá em Mumbai, Índia, em Janeiro de 2004.

O evento foi dividido em três eixos temáticos ? "Imperialismo", "O Brasil que temos e o Brasil que queremos" e "Movimentos Sociais".

Além da programação oficial do FSB, com aproximadamente 800 atividades propostas e organizadas pelas mais de mil entidades presentes, grupos autônomos de Belo Horizonte apresentaram uma programação independente.



Sábado, 08/11: [ Manifestação do MST | Leonardo Boff no FSB | Relato das conferências da manhã | Reunião das executivas dos cursos | Segunda ação contra os transgênicos ]

Sexta-feira, 07/11: [ Sessão de cinema com vídeos do CMI | Relato das conferências da manhã ]

Quinta-feira, 06/11 - Relatos da abertura: [ 1 | 2 ]

Áudio: [ Transmissão ao vivo do FSB ]

Vídeos: [ FSB : Pomba Gira na Marcha de Abertura | Rádio na Casa Macunaíma ]

[ Página oficial do FSB | Carta de Princípios do FSB | Contra Fórum (uma resposta ao FSB) | Contra a festa da cooptação | Anticapitalistas contra o FSB | Ford e FSB | Petrobrás e FSB | Impressões sobre um FSB ]



Marta aprova homenagem a Roberto Marinho em primeira votação

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, conseguiu aprovar, em primeira votação, a mudança do nome da avenida Águas Espraiadas numa polêmica homenagem ao falecido empresário Roberto Marinho.

A votação aconteceu na câmera municipal de São Paulo na quinta-feira, dia 6 de novembro, às 21 horas. Como a votação foi por aclamação, não houve contagem dos votos. A mudança do nome da avenida, que viola lei de 1978 que restringe a modificação de nomes de logradouros públicos e homenageia um empresário que apoiou abertamente a ditadura militar, ainda tem que ser votada uma segunda vez (provavelmente na próxima semana).

Por isso, ativistas do movimento pela democratização dos meios de comunicação estão em campanha para pressionar os vereadores a votar contra essa homenagem absurda.



Você encontra aqui um link com os emails de todos os vereadores e um modelo de carta de protesto

[ Marta Suplicy quer dar nome de avenida a Roberto Marinho | Íntegra do Projeto de Lei | Lei de 1978 restringe mudança de nome de logradouros | Modelo de carta de protesto e endereço dos vereadores ]





América Latina




Brukman é das trabalhadoras



Depois de mais de um ano e meio de luta, a fábrica têxtil Brukman foi desapropriada oficialmente na argentina no dia 31 de outubro. A fábrica tinha sido ocupada desde o dia 18 de dezembro de 2001, quando as trabalhadoras resolveram não parar a produção depois dos donos da fábrica abandonarem-na.

Durantes esses anos, foram 3 desocupações, sendo que a última contou com a resistência de cerca de 10.000 pessoas que apoiaram a luta das trabalhadoras de Brukman. A fábrica se tornou um símbolo de luta contra o sistema de exploração entre patrão e empregado, e hoje pertence a uma cooperativa formada pelas próprias trabalhadoras, que passa a gerir a fábrica.



[ Sucesso em Brukman | Brukman: alegria operária]

Vídeo: Controle Operário dos Trabalhadores da Brukman
Fotos: I | II





Internacional


Prisioneiros de Tessalonika recusam água

Em 21 de junho passado, durante as manifestações contra a Cúpula Européia de Chefes de Estado realizada em Tessalônica (Grécia), mais de 100 pessoas foram detidas - 29 delas passaram à disposição judicial e destas 8 foram enviadas à prisão provisória (uma delas hoje está em liberdade condicional).

Depois de três meses encarcerado, um dos presos iniciou uma greve de fome para evitar sua deportação (para a Síria, seu país de origem). Há alguns dias atrás, mais quatro detidos aderiram à greve e ao protesto. Estas sete pessoas já estão há mais de quatro meses presas, acusadas de posse e uso de explosivos, danos, resistência à autoridade, desordem pública, posse e uso de armas e incêndio. Tanto a detenção como a posterior acusação por parte da justiça grega foram rodeadas de uma grande campanha midiática alarmista e recheada de falsas informações com a intenção de apontar alguns dos detidos como supostos líderes anarquistas, quando não terroristas. As únicas provas que existem contra eles são as declarações da polícia, afirmando que portavam mochilas com estilingues, porcas de parafuso e coquetéis molotov.

Os quatro prisioneiros em greve de fome em Tessalonika foram levados ao hospital. Eles estão em greve de fome e estão agora recusando água. Carlos, um dos espanhóis encarcerados foi enviado ao hospital a alguns dias atrás. Policiais carcerários o retiraram do hospital, amarraram-no em uma cadeira e o chutaram e bateram por muito tempo, até que o enviaram de volta para a prisão. Depois de uma grande manifestação em Atenas, todos os prisioneiros foram levados para o hospital desde a última sexta-feira. Fernando, está urinando sangue. Os prisioneiros estão recusando água em protesto ao fato de não ser permitida nenhuma chamada telefônica ou contato com seus advogados, para mantê-los isolados. Eles estão exigindo também privacidade no uso de toilet. No momento a administração prisional está ameaçando separá-los e movê-los para diferentes prisões.



Você pode ajudar os prisioneiros de Tessalonika mandando uma mensagem para a embaixada grega no Brasil.

[ Leia o artigo completo | Artigo da correspondente do CMI à época da prisão | Carlos Martin vai para o hospital | A saúde dos presos de Tessalônica se deteriora | Manifestações em solidariedade aos 7 de Tessaloniki ]

Veja tambem: Indymedia Atenas | Indymedia Reino Unido | Indymedia Tessaloniki



Ativista brasileiro ganha prêmio por combate ao tráfico de animais

O ativista brasileiro Dener Giovanini recebeu, no último dia 28 de outubro, o prêmio Sasakawa de meio ambiente de 2003. Até então, o único brasileiro a tê-lo recebido havia sido o seringueiro Chico Mendes. O prêmio foi dividido com o chinês Xie Zhenhua, responsável pela nova política de desenvolvimento sustentável na China.

Dener Giovanini destaca-se como ativista da ONG Renctas, que combate o tráfico de animais silvestres, terceiro maior comércio ilegal no mundo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e de armas, e movimentando cerca de 10 a 20 bilhões de dólares por ano. Espera-se que o prêmio chame atenção para o problema, de proporções muito preocupantes.

Segundo dados divulgados pela Renctas em seu primeiro relatório, de dez animais submetidos ao tráfico, nove morrem na captura e transporte. O Brasil fornece 95% destas espécies, das quais 40% vão para o exterior e têm como destinatários colecionadores particulares, indústrias químicas e farmacêuticas (usadas para fins de biopirataria), produtores de artesanato e petshops. Esse tráfico de animais é realizado em parte por populações que vêem nessa atividade uma fonte de renda, e em parte por quadrilhas internacionais especializadas. Um filhote de jibóia chega a valer de 800 a 1000 dólares nos Estados Unidos.

[ Matéria completa ]
Leia Também:
[ Comunicado da renctas | História do tráfico, números e riscos para a população | Artigo sobre patentes e ALCA | Site do renctas ]



O Centro de Mídia Independente é uma rede de produtores independentes de mídia que busca oferecer ao público informação alternativa e crítica de qualidade.

O CMI PoA oferece gratuitamente para as entidades e movimentos sociais a "Oficina de Formação de Repórteres Populares".

Para participar entre em contato com o coletivo CMI de Porto Alegre escreva para:  cmi-poa@midiaindependente.org .

Para publicar sua notícia entre na seção "Publique" do site do CMI-Brasil.


CopyLEFT -  http://www.midiaindependente.org
Se deseja sair da lista, escreva para:  cmi-poa-editorial@lists.indymedia.org