Tese sobre Urbanização
Nova fase da evolução mundial
Dois eixos básicos (Urbanização geral e Urbanização brasileira)






1. O que é urbanização

Urbanização é o fenômeno de aglomeração das pessoas em vilarejos e mais recentemente em cidades. Claro abandono das áreas agrícolas para as áreas rurais.
Fenômeno que é ocasionado pelo modo de produção, modo de comportamento e em muitos casos dado pelas oportunidades das cidades urbanas em vista das cidades rurais, pelas facilidades em geral.
Podemos observar através da própria evolução das cidades no Brasil, mesmo que a evolução seja atrasada em vista de paises como Inglaterra, tem uma urbanização marcante no período de 1940 a 1990.



2. Histórico das primeiras cidades



As primeiras cidades surgirão por volta de 3000 a.c. alavancadas por uma necessidade de controle de produção e de realização do escambo.
Para que isso ocorre-se foram necessários com o tempo criarem novas formas de comércio dando maior conforto e opções para os moradores das cidades e por este motivo necessitando mais de mão-de-obra até a chegada da industrialização, facilitando a independência da cidade para o campo.
Com a chegada do Capitalismo as cidades tomaram proporções maiores e tiveram um aumento populacional gigantesco, algumas com o percentual das grandes cidades quase igual ao de seu país como o caso de Lagos na Nigéria e Montevidéu no Uruguai.
Em todas as fazes da história da Urbanização tivemos cidades chaves como a Babilônia na Mesopotâmia, Roma como marco da concentração de poder do Império Romano, hoje atual Itália, na Inglaterra tivemos Londres como marco da Industrialização por volta dos séculos XVIII e XIX e atualmente Nova Iorque nos Estados Unidos da América como marco do Capitalismo.


3. Industrialização


Surgido à revolução industrial no século XVIII, no berço da Inglaterra, na cidade de Londres, temos como o tipo de urbanização atual.
As cidades industrializadas precisam de menos espaços, diferente das agrícolas, que necessitam de grande área para cultivo e nem tantas pessoas que uma industria. Podemos perceber isso quando vemos que numa região de cultivo de hortaliças necessitam de média de 100 funcionários e às vezes no mesmo espaço físico podem ter varias industrias com o número de funcionários chegando a 5.000, enfim, como o número de pessoas para uma industria é bem maior, as cidades foram crescendo e necessitando de infra-estrutura para continuarem existindo. Assim com o tempo foi aumentando o comércio local, necessitando de diversidade de produtos e tipos de atração para aqueles habitantes urbanos.
Isso foi importante quando dizemos em diversificação de produtos e até mesmo nos conceitos culturais, temos hoje com a urbanização vários tipos de comportamento em uma aglomeração de pessoas, coisa que não vemos nas áreas agrícolas.



4. Principais cidades e Esquema Clássico de Urbanização



Hoje não poderíamos dizer somente as principais cidades, afinal, muitas tiveram um crescimento tão grande que passaram a ser chamada de região metropolitana. Um exemplo disso é a cidade de São Paulo no Brasil, onde aglomera em sua região metropolitana 39 municípios.
Existe hoje um sistema de relação entre cidades que define melhor as redes urbanas, ele tem o seguinte modelo de denominação, cidades consideradas metrópoles nacionais, como no caso do Brasil São Paulo e Rio, as metrópoles regionais seriam as cidades de Belo Horizonte e Salvador e já os centros regionais seriam Campinas e Juiz de Fora, assim como as demais cidades no território brasileiro.


Por volta do inicio do século as maiores cidades eram as cidades dos paises desenvolvidos, mas com o tempo isso deixou de ser real, onde as cidades dos paises sub-desenvolvidos passaram a ter um crescimento populacional muito maior, quase sempre desordenado trazendo sérios problemas às cidades como violência, desemprego e sub-empregos e falta de saneamento.
Hoje temos 15 concentrações urbanas onde 11 delas são em países sub-desenvolvidos como no caso de São Paulo e Rio de Janeiro no Brasil ocupando respectivamente 2º e 13º lugar na tabela dos 15 mais populosos.



5. Conceito Diverso Cultural



Podemos observar que hoje temos dois tipos de urbanização, os dos países de 1º mundo e de 3º mundo.
Mesmo tendo diferenças claras, principalmente quando se trata da relação das políticas sociais, vemos claramente um fenômeno normal nas grandes aglomerações.
No Brasil como em qualquer local do mundo, as cidades junto ao sistema capitalista fundiram no que particularmente pode ser chamado de CONCEITO DIVERSO CULTURAL.
O que seria este conceito, as formas diferenciadas de poder se encontrar sentimentalmente, socialmente através de suas próprias características e transformações. Uma forma do ser humano colocar seu estilo e modo de pensar dentro de sua aglomeração social, do seu modo de compreensão das questões relevantes da sociedade.
Essas riquezas de culturas podem ser bem observadas em cidades como NY, nos Estados Unidos, local onde existem pessoas de todos os tipos, de todos os países trazendo suas próprias culturas e sendo ao longo do tempo fundidas em outras culturas transformando algumas destas em novas culturas.
Podemos observar também a variação musical e o vestuário, as novas formas de pensar e de agir dentro da sociedade aliada com os conceitos capitalistas.
Celso Furtado retrata bem o modelo capitalista quando dizia que ?O capitalismo é cruel, ganha até sobre a imagem inimiga? quando ele se refere às milhares de camisas do Che Guevara vendidas por preços absurdos em lojas no mundo todo.
Podemos colocar que hoje existe uma certa liberdade de opinião, que também ajudou a predominar com o crescimento populacional entre as grandes cidades, uma facilitação de poder ter matérias sobre todos os tipos de culturas.
A juventude é pioneira deste processo, vemos nas formações de ?tribos ideológicas? e de manifestações sociais, por isso este processo necessita de cada vez mais de oxigenação onde cada geração cicatriza seu conceito na sociedade, por exemplo à geração de 60 nos EUA com o inicio do Rock Clássico e do inicio dos anos noventa no Brasil com as danças latino-americanas.


TESE FINAL



Enfim, muito se ganhou durante a urbanização, principalmente quando se trata de cultura, mas temos que temer as más políticas, principalmente dos países sub-desenvolvidos pelo fato de que grande parte da população sofre problemas sociais, temos que dar sustentabilidade neste processo e é papel dos países ricos auxiliar este acontecimento para que não haja tamanho desequilíbrio social no mundo.


Leonardo Koury Martins