MORRE HAROLDO DE CAMPOS

Poeta, crítico e tradutor, Haroldo de Campos é autor de mais de trinta livros e centenas de ensaios, traduzidos em muitos idiomas, Professor emérito da PUC/SP e Professor convidado das Universidades de Yale e Austin, entre outras, é reconhecido internacionalmente como um dos nomes mais importantes da literatura brasileira da segunda metade do século. Grande expoente da arte da tradução, publicou “transcriações” de, entre muito outros, Ezra Pound, James Joyce, Maiakovski, Malarmé, Dante e Octavio Paz, além do teatro japonês, poesia grega e latina. Foi um dos criadores da Poesia Concreta, cuja influência ressoa até hoje na nova poesia brasileira.

Segue a tradução de dois poemas da obra de Bertold Brecht (1898-1956), que é, até certo ponto, simétrica à de Maiakóski. A poesia de Brecht aplica à estrutura poemática processos de montagem que podem ser analisados em termos dialéticos, da mesma maneira que Einsenstein interpretava dialeticamente sua teoria da montagem baseada no ideograma chinês. Alias, a influência da técnica de composição sino-japonesa em Brecht é evidente.

A MÁSCARA DO MAL

Na minha parede, a máscara de madeira
de um demônio maligno, japonesa –
ouro e laca.
Compassivo, observo
as túmidas veias frontais, denunciando
o esforço de ser maligno.

EPITÁFIO

Escapei aos tigres
Nutri os percevejos
Fui devorado
Pela mediocridade

Segue uma tradução primorosa de August Stramm (1874-1915), que surgiu no quadro do expressionismo germânico (1912). Impressiona em seus poemas a singular estrutura, quase sempre verticalizada do ponto de vista visual, apoiada em freqüência de verbos (muitas vezes neologismos verbais) e acionada semanticamente na palavra-valise.

LUAR

Lívidos, langues
Lábeis flexíveis
Gatos odoram
Flores tremem
Água lambem
Ventos soluçam
A luz desnuda seios agudos
O tacto geme em minha mão

INCONSTÂNCIA

Meu buscar busca!
Mil vezes me transformo
Me apalpo
E tateio-te
E te apanho!
Anseio-me!
E a ti, a ti, tu
Mil vezes tu
E sempre tu
Multivia tu
Nosfusão
Confusão
Circunfusa
Cada vez mais difusa
Através da
Ambifusão
Tu
Te
Me!