Os dados oficiais mostram que 2 milhões de brasileiros moravam no exterior no ano passado. Cinco anos antes, em 1997, havia 1,5 milhão de pessoas fora do país. O Itamaraty estima que, dos que emigraram, cerca de um terço esteja em condições ilegais.

Os números não são precisos porque não há controle de saída de brasileiros do país e porque apenas uma pequena parte dos residentes no exterior inscreve-se nos consulados brasileiros. Mas são os únicos dados sobre imigração disponíveis no MRE (Ministério das Relações Exteriores).

As estimativas do MRE mostram que os EUA são o país preferido pelos brasileiros: cerca de 784 mil moram lá, a maioria (300 mil) na região de Nova York. Há outros 200 mil na região de Boston e mais 150 mil na Flórida.

A Califórnia também é bastante procurada, mas a comunidade de lá é bem menor. Há 25 mil pessoas registradas no Consulado do Brasil em São Francisco e outras 17 mil no de Los Angeles.

Segundo o advogado Josué Maranhão, que presta serviços voluntários para o Consulado do Brasil em Boston, a maioria dos brasileiros que residem naquela região está nos EUA ilegalmente. Ele afirma que a maioria dos imigrantes brasileiros é de Minas Gerais, especialmente da região de Governador Valadares.

De acordo com Maranhão, a imigração ilegal de brasileiros para os EUA continuou intensa após o 11 de Setembro, quando os norte-americanos intensificaram os controles de fronteira. "Hoje, é muito grande o número de brasileiros que vêm morar nos EUA entrando no país ilegalmente, sem visto, pela fronteira com o México", diz.

As informações do Itamaraty revelam que a segunda maior comunidade brasileira está no Paraguai. Dos 378 mil brasileiros que moram no país, segundo o MRE, 300 mil estão registrados no Consulado do Brasil em Ciudad del Este, o que demonstra serem pessoas que moram na região da fronteira.